sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

RETROSPECTIVA 2010...

JANEIRO - REVEILON NA PRAIA DE GUAIBIM - BA
Pelo terceiro passamos o reveilon fora de Brasília, desta vez a parada foi em Valença na praia de Guaibim. Com direito a um passeio em Morro de São Paulo, viagem de lancha, swingueira com suas letras surreais noites e madrugadas na praia, uma casa que virou pousada cheia de confusão e mais histórias para contar.
Foto: Rogério em Morro de São Paulo - BA.

FEVEREIRO - CURSO DE VERÃO (ÚLTIMA AULA OFICIAL)
Nos meses de janeiro e fevereiro tive que acelerar meus últimos créditos de disciplinas fazendo aula de verão e na melhor matéria que poderia ter feito, uma disciplina que tinha como objetivo contar a verdadeira história de Brasília, uma diferente dos livros de histórias. Para isso visitamos vários pontos turísticos de Brasília que são fontes históricas. Uma disciplina que me senti bem em ter feito e ter encerrado com chave de ouro.
Foto: Turma do curso de verão no Catetinho.

MARÇO - TUTORIA NO CURSO CONSELHOS ESCOLARES
Fui convidado novamente para ser tutor desta vez pelo CEAD e agora o tema era Conselhos Escolares. Uma grande experiência vivida e a qual participei durante o primeiro semestre.
Foto: CEAD-UnB.

ABRIL - FORMATURA DA GABRIELLA E DO LUIS FERNANDO
Era para ser apenas a formatura do Luis Fernando ele havia convidado e não poderia faltar a colação de grau de meu melhor amigo. Mais eis que é chamada para receber o canudo a formanda: GABRIELLA NASCIMENTO. Eu fiquei no estilo: O QUE??? GABRIELLA??? E eis que ela levanta e vai receber o canudo olha para mim com a cara de: É ROGÉRIO, SOU EU MESMO... E assim se formaram meus dois melhores amigos na noite do dia 01° de abril (mas não é mentira - diria a diretora Inês Maria) com direito a ida a pizzaria, um pulo na sinuca e virar a noite com amigos.
Foto: Colação de Grau da Gabriella e Luis Fernando - tenda da UnB.

MAIO - COMISSÃO JULGADORA DE CONCURSO CULTURAL
A minha amiga (e anjo da guarda em muitos momentos dos últimos tempos) Cintia me convidou para fazer parte da comissão julgadora de um concurso cultural nacional promovido pelo governo federal. Uma coisa que parece fácil e na prática e complexo e muito complicado definir entre os melhores desqualificando bons trabalhos também merecedores de alguma premiação. Foram 03 dias intensos que realmente valeram a pena. Não pude comparecer a premiação com a presença do presidente Lula porque no dia em questão não possuia os 06 reais de passagem. Perdi a maior oportunidade de estar na presença de um presidente da república, mas mesmo assim valeu a pena a experiência.
Foto: Cerimônia de premiação do concurso cultural.

JUNHO - FEIRA NACIONAL DE CULTURA, ARTESANATO E GASTRONOMIA
(foto a acrescentar)

Pela primeira vez pude sentir em Brasília a sensação que me atrai quando estou fora de Brasília. A mistura cultural que esta feira tinha era de encher os olhos, o país inteiro aqui, a mistura de cultura, de sotaques e costumes. A comida que tanto me fascinou e os shows que sempre irei me lembrar. Lá pela primeira vez assisti a um jogo de copa do mundo no meio de uma multidão e após teve o melhor show de axé que se podia ter: ARMANDINHO, DODÔ E OSMAR!!!
Foto: Cartaz de divulgação da Feira.

JULHO - O TÃO ESPERADO ENEPE DE BRASÍLIA
Depois de anos e gerações de espera finalmente acontece o ENEPE de Brasília. Por não estar inscrito não pude aproveitar muito, porém estive ajudando como voluntário. Encontrei as amizades (minhas vizinhas de colchonete do Enepe de 2008) que tanto queria rever e delas ainda conheci novas amizades que espero que continue durando como as anteriores duraram. O que mais me marcou neste Enepe foi o melhor show cover dos Beatles que já vi com a Let It Beatles, a antológica festa a fantasia, com direito a ver o sol nascer do fundo da FE01, dormir algumas noites no Centro Acadêmico e as amizades feitas durante o período.
Foto: Cartaz do Enepe Brasília.

JULHO - APRESENTAÇÃO NA SBPC EM NATAL

O Enepe terminou em um sábado e no domingo já estava viajando para Natal para apresentar meu trabalho na SBPC. Como já aconteceu em anos anteriores me hospedei com o pessoal do ENAPET. E como sempre, as confusões aconteceram virando mais histórias extraordinárias para o futuro. As noites aproveitando o melhor de Natal também serão inesquecíveis, como a resenha alcoolica, a noite de forró universitário que só tocava risca-faca e a festa a fantasia. Consegui conhecer o maior colecionador de vinis de lá e ainda ganhar um campeonato de dominó e dama mesmo sem jogar direito, rs. Ao terminar o evento fui para Fortaleza...
Foto: Praia do careca em Ponta Negra - RN
AGOSTO - VISITANDO UMA AMIGA EM FORTALEZA
Conheci Paolla em 2007 num período conturbado para mim e logo que comecei a normalizar ela entrou em um período conturbado e um sempre apoiou o outro. Assim nasceu a nossa amizade e um convite foi feito para que ambos pudesse visitar o outro mesmo sabendo a dificuldade de isso acontecer. Surgiu a oportunidade de ir ao nordeste e assim conhecer a minha amiga que até então so conhecia de msn. O tratamento recebido em Fortaleza agradecerei eternamente, embora Paolla me conhecesse, seus familiares não, e eles me trataram como um deles. Não conheci tudo de Fortaleza, até porque era o período de descanso depois de duas semanas intensas, mas aquele grau familiar valeu por tudo. Nesta foto estão todas as grandes amizades feitas durante aqueles dias, menos a Paolla que além de tímida para fotos foi quem forografou.
Foto: Amizades de Fortaleza.
AGOSTO/SETEMBRO - REENCONTRANDO OS AMIGOS
Em agosto e setembro houve reunião dos amigos que participam de um fórum de emails de amigos da UnB. Era a oportundiade de conhecer o pequeno Isaac filho de Karen, e saber como estava Thais grávida do filho de Willys, realizar a noite dos memoriais que tanto o povo queria, ouvir as histórias da Josy, poder dar um longo abraço na Gabi depois de muito tempo e rever o Miguel e o Aranha assim como todos os amigos juntos. Foi um ótimo sábado. No mês seguinte se repetiu no chá de bebê da Thaís e seu filho Caio nasceria no fim daquele mês.
Foto: Reunião da turma do 02°/2004 de Pedagogia-UnB e alguns de seus parceiros.
OUTUBRO - VIVENDO A LEI DE MURPHY
Quando tudo estiver ruim, saiba ainda pode ficar pior... Foi isso que começou em fins de setembro e por enquanto não teve prazo de terminar. Não adianta escutar as pessoas falarem das dores de cabeça que acometem o período de monografia. Sabe-se lá qual zica me acometeu, mas veio com a enésima potência. Perdi mais de 20 versões, sendo que algumas completas. Entrego uma versão após o prazo de entrega mas ainda a tempo de se formar em novembro, mas que precisava ser refeito para possivel apresentação. Então em um espaço de 02 dias perco a versão que tinha refeito, vou refazê-la, o computador pifa, o computador funciona para poder imprimir e não tem tinta no computador. Após percorrer a cidade inteira atrás de impressão, voltando para casa, levo uma queda que quase partiu (literalmente) a coluna no meio. Devido a queda me dá enxaqueca e perco o último dia que tinha para refazer a monografia. Ao entregar a versão que julgava ser a definitiva, a professora julga não estar em qualidade de apresentação e por saber que a banca ser crítica e não aprovaria a monografia. Foi com certeza o pior dia como universitário. E o ruim era saber que todos os problemas que aconteciam ainda continuariam acontecendo...
Foto: Ilustração de Uiara sobre o perfil de um universitário estudando.

NOVEMBRO - A REALIZAÇÃO DE UM SONHO DE INFÂNCIA
Era para ser meu presente de formatura, meu baile, a ser realizado na semana seguinte a formatura. Porém quando falhou de me formar em novembro, iria por água abaixo a realização de meu maior sonho de infância, porém comprei a briga e resolvi ir a favor de meu maior sonho. Não iria ver com tudo dando errado e depois de perder a chance de me formar de ver o show de meu maior ídolo e assim corri atrás dos meus sonhos de formar e assistir ao show de Paul Mccartney. Por saber que tudo viria contra mim não avisei a ninguém, somente a meus pais e ao Roale que encontrei dois dias antes de tudo acontecer. Foram as 03 horas mas intensas da minha vida, se um dia puder resumir minha vida que ela seja nos 03 minutos que durou Magical Mystery Tour a música de abertura. Para quem passou a vida tendo como companhia uma coleção de discos de vinil, cds, vhs, e agora estava tendo a oportunidade de cantar o mais famoso refrâo de todos os tempos, Hey Jude, com seu autor... Para fechar com chave de ouro, em entrevista, Paul escolhe o show de São Paulo como o melhor do ano e um dos melhores de sua carreira. EU FUI!!!
Foto: Eu Fui ver Paul Mccartney!!!

DEZEMBRO - CORRENDO ATRAZ DO PREJUÍZO
Dia, noite, madrugada. Domingo a domingo. Feriado. Durante chuva e sol, com fome ou não. Após o dia 22 de novembro esta se tornou minha rotina, fazer a nova monografia com novo tema e com tempo menor que os demais já que comecei por não conseguir me formar e os demais começaram ao início do semestre. Em troca: até o momento (01° de janeiro), 07 perdas de conteúdo, defeitos no CPU, defeitos no computador, defeitos no pen drive, picos de energia que faz perder o que já havia feito, backups que já apagaram tudo... E a velha rotina durante o mes continua.
Foto: Um mes em frente a tela de um computador.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

UM MOMENTO DE INSIGHT

Lennon e Mccartney 65, Lennon e Yoko 69

Gabriella e Ana Paula 2005


terça-feira, 30 de novembro de 2010

POR SER BRASILEIRO (E TEIMOSO), NUNCA DESISTIREI DOS MEUS SONHOS (PARTE 02)

Retrato de um universitário monografando por Uiara_assim

Na semana que antecedeu o show de Paul Mccartney no Beira Rio a tão propagada Lei de Murphy resolveu agir. E resolveu agir com força. Começou com o atraso da Bolsa de Pesquisa Universitária na qual fiquei um mês sem receber e que além de me sustentar não poderia assim nem ao menos comprar o ingresso. Devido um atraso do ônibus, cheguei atrasado no dia de buscar vagas para trabalhar no ENEM perdendo a oportunidade de trabalhar e assim o recurso financeiro para assistir ao show ia pelo ralo.
Na correria (literalmente) para entregar a monografia a tempo levo um tombo em que o peso do corpo se concentrou sobre a base da coluna e que desencadeou uma enxaqueca que terminou inviabilizando terminar a monografia a tempo. Ao entregar (atrasado) a versão de monografia que pretendia ser final, ela foi recusada pela orientadora (diga-se com razão) devido a falta de qualidade o bastante para ser apresentada tendo a professora sugerido me reprovar aquele semestre para que eu fizesse um trabalho melhor no próximo e assim não passasse constrangimento com a banca que era de nosso conhecimento muito exigente.
Tudo isso e outros fatos em um espaço de 72 horas (ou menos). Ou seja, a motivação maior para assistir o show de Paul Mccartney, além de ser um presente de aniversário atrasado e natal antecipado, era o presente de formatura que meus pais não puderam me dar e nem tinham condições financeiras de fazer isso e agora sem a formatura só meu fanatismo já não era a razão de ser em poder assistir. Fui jogado pelo destino contra meu sonho de vida e infância de assistir a um show de um beatle ou realizar um sonho de me formar e que será realização para a vida inteira. Tive a possibilidade nas mãos de poder realizá-lo os dois e agora me via na dúvida em qual dos dois escolher.

Durante a noite do dia 07/11 minha mente estava em um lugar e sobre duas pessoas, em Porto Alegre e em Paul Mccartney e Eleanor.. Ela havia me prometido que quando fosse o momento de Something (a nossa música e a do nosso beatle favorito) gravaria para mim. E na tarde do dia 08/11 ela entra em contato comigo e lhe faço uma saraivada de perguntas sobre como foram as 03 horas mais impactantes de sua vida. A cada palavra dita um nó em minha garganta querendo soltar as lágrimas que segurava em uma semana de não realizações. Porém ao dizer que ela havia cumprido o prometido, gravado Something e dito durante a gravação que a música era para mim, as lágrimas contidas durante os últimos 07 dias rolaram e quando ela concluiu que ali havia realizado seu sonho, eu pus na cabeça que iria lutar para reverter tudo de ruim que havia acontecido recentemente.

Pedi para que ela escrevesse uma crônica a mim contando o que se passou no Beira Rio e enquanto isso passei a escrever a nova versão de monografia agora não mais a ser apresentada em novembro mas que por ter mudado de tema teria que apresentar uma nova proposta até a próxima sexta-feira. Foi a última vez que conversei com Eleanor., também ela teve que escolher entre o show e a net e fez uma ótima escolha por sinal, espero reencontrá-la em breve assim que a net dela voltar.
Mas quanto a mim, aí as coisas começaram a se tranformar drásticamente apartir dali...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

ENQUANTO UMA GUITARRA GENTILMENTE CHORAR, HAVERÁ UMA GUITARRA BEATLE NO AR...

Paul and George - A imagem refletida no telão
durante o show Up and Coming 2010




Na chuvosa e nublada manhã do dia 29 de novembro de 2001 (como a de hoje), acordei lendo as letras a revista de cifras (que comprei em 1996 e guardo até hoje) e lendo as letras me deu uma vontade enorme de traduzir Blackbird, uma das músicas que sempre gostei. Mesmo não tendo a mínima noção de inglês e não tendo a internet que hoje na dúvida pode se fazer uma busca para se encontrar o que se quer, peguei um dicionário e passei a traduzí-lo até próximo ao meio dia complementar a tradução do pássaro negro que canta ao cair da noite. Foi a primeira vez que me permitir parar para traduzir uma música e gostei do que li ao terminar a tradução.

Minutos depois de terminar tomo banho e me preparo para almoçar. Ligo a televisão para saber as notícias do dia e a chamada do jornal de meio dia era: MORRE GEORGE HARRISON!!! Fiquei sem reação... Como assim... dá-se no imaginário que ídolos não morrem (há momentos que acho que Chapman acreditava nisso ao atirar em Lennon). Tempos antes ele havia sobrevivido um atentado de homicido em sua casa por outro fã maluco. Do mesmo modo que após a morte de Lennon e passados 20 anos, era como se os demais beatles fossem imortais, algo Highlander. Troquei de canal e cada um informava o mesmo e era irreversível, George realmente estava morto.

Não me saía da cabeça se aquilo de amanhecer com aquela idéia fixa na cabeça de traduzir algo e ao terminar descobrir esta notícia eram somente coincidencias ou algo mais. Tal qual Blackbird, George voava para vôos mais altos, para a paz que tanto procurava. Afinal desde 1967 quando levou os beatles para a cultura oriental indiana “ele só estava esperando este momento chegar”, esta paz que tanto procurado e que agora era encontrado. A meditação e os mantras era sua forma de poder enxergar toda sua vida esperando este momento para ser livre

Liberdade somente alcançada quando a banda se separou e All Must Thing Pass veio ao fim daquele ano mostrando a ditadura enfrentada por ele para mostrar suas músicas em discos dos Beatles. A consquência é que aquele disco lançado ao fim de 1970 e só posterior aos discos dos outros 03 ainda hoje é considerado o melhor disco solo de um beatle. Também, não se pode negar o fato que as músicas gravadas naquele disco triplo (o primeiro disco triplo da história, só para perceber a quantidade de músicas sufocadas pela dupla dinâmica Lennon/Mccartney) foram compostas entre 66/69 e muitos foram sumariamente eliminadas da edição final dos discos

Passei aquele horário de almoço gravando todos os programas possíveis em programas e jornais. Cheguei a ter quase 45 minutos de reportagens gravadas numa VHS (sendo que a média de reportagens variavam de 02 a 07 minutos). Pena o tempo ter feito bolor rolo e ter perdido aquele material, hoje mesmo sendo 09 anos aqueles arquivos são documentos

George era o amigo que todo amigo gostaria de ter (que o diga Eric e as histórias de amizade entre os dois e o diga Paul mesmo em momentos de rusgas registrados no filme Let It Be e que Paul imediatamente após sua morte fazia questão mesmo 30 anos depois de pedir desculpas insisentemente). Fittpalldi que o diga, ganhou uma música exclusiva de presente. Há pessoas que sonham em ganhar carros e viagens de luxo. George dava músicas de presente. Eu adoraria ganhar um Here Comes Rogério e ficaria eternamente grato com o presente

Ao contrário de Lennon/Mccartney e também até Ringo, Harrison sempre procurou o isolamento completo. Em entrevistas buscava dizer que discos eram a maneira de mostrar o que produzia e não deixá-las ao ostracismo e não apenas fazer sucesso para não repetir o sufocamento sofrido com os Beatles. A turnê de 1974 era uma maneira (que acabou não dando certo) de se desvincular da banda que ele projetou como a maior de todos os tempos. A penalidade de tamanha ousadia de se desvincular de sua maior obra foi a insatisfação de fãs sedentos por Beatles e dos vorazes críticos e que provocou 17 anos sem algum show solo e mesmo assim o retorno só houve “com a pequena ajuda de seu amigo” Eric Clapton.

Até então, meu beatle favorito era Rongo Starr. Sempre me chamou atenção os outsiders por me sentir sempre assim. Nunca fiz parte de grupos e sei que isso me prejudicou em muitos pontos. E Ringo para mim representava isso. A figura a parte, poém, importante. Isso até acompanhar aquelas reportagens e ver que se tinha um a quem me identificava realmente era George Harrison. E assim pedi licença para Ringo para que George Harrison se tornasse meu beatle n°01

... .... ....


Paul Mccartney ao vivo em São Paulo dia 22/11/2010

Quando Paul inicia a tocar seu maior sucesso Something, “algo” de transcendental acontece literalmente. Com U-kelele presenteado por George e novo arranjo que só encorpou a beleza da música não tinha quem contivesse as lágrimas naquele instante. Quando o arranjo clássico volta ao normal e aparece aquele sorriso de paz de George tendo um aconchegante ombro para que Paul se escorasse eu fui um dos 180 mil pessoas (incluindo os três shows) que desabaram em lágrimas. Ao aparecer George no telão e seu solo mais famoso ser tocado na exatidão, era como se ele literalmente estivesse presente naquele momento. E todos aqueles que lá estiveram sentiram isso.

Passados 09 anos após sua morte e a poucos dias dos 30 anos da morte de John Lennon eu só tenho a agradecer a eles. Desde os 05 anos eles me deram algo que é o maior presente que alguèm pode dar a outra pessoa. Alegria. Estar no estádio do Morumbi no dia 22 de novembro era meu modo de ser grato a tudo isso. Às tardes e manhãs e momentos solitários tendo como companhia as fitas K7, os LPs, os CDs, os VHSs, ou escutando em minha adolescencia o especial Beatles Revolution da Rádio Nacional

George, você nunca ouvirá (muito menos Paul e Ringo) ou como o famoso refrão de Lennon e Mccartney cantado por Milton Nascimento, vocês talvez não irão saber, mas...

MUITO OBRIGADO POR TER ME FEITO FELIZ ESTES 29 ANOS DE MINHA VIDA!!!

domingo, 28 de novembro de 2010

POR SER BRASILEIRO (E TEIMOSO), NUNCA DESISTIREI DOS MEUS SONHOS (PARTE 01)

Eleanor. (violinista da Orquestra de Florianópolis em seu cartão, feito por ela, que me foi presenteado no último aniversário)



Em 2009 começaram os boatos de que Paul Mccartney se apresentaria no Brasil e uma das apresentações seria em Brasília no aniversário de 50 anos da capital aberto ao público com expectativa de 02 milhões de pessoas presentes (onde uma delas seria eu). Com um olho muito maior que a barriga (ditado popular) o governador fez com que a produtora de Paul assinasse um contrato de exclusividade o que impediu que os shows fossem realizados também em São Paulo e Rio de Janeiro respectivamente. Porém, denúncias de corrupção política fizeram que o tal governador sofresse impeachment e assim a vinda de Paul Mccartney a Brasília (e ao Brasil em 2009) foi totalmente descartada. Por pior que seja o sentimento, amaldiçoei eternamente este governador por ter sido o responsável pela não vinda antecipada de Paul Mccartney ao Brasil e por privá-lo de estar na capital federal e talvez nunca mais no Brasil.

Neste meio tempo conheci uma garota num chat sobre cinema e seu nick era “Eleanor.”. Este encontro casual me fez unir a quilômetros de distância (e do lugar que mais me identifico fora de Brasília, Florianópolis) com alguém que era simplesmente a outra metade do que penso e do que eu sou, pois tudo que eu gosto a garota curte, além de cursar o mesmo curso que eu, nutrir o gosto pela maior banda que já passou pela terra e termos a preferência pelo mesmo beatle: George Harrison (citar as demais coisas em comum será fugir ao tema). Esta garota representa tudo que eu espero de uma garota em Brasília (pena estar em Florianópolis) e a quem poderia debater sobre temas qualquer. E com ela conversava sobre Beatles e a frustada vinda de Paul Mccartney ao Brasil como também uma possível vinda dele num dia futuro.

Quando descobri via portal musical de Brasília (Cult 22) que haveria a possibilidade de ter datas de show para o Brasil em novembro, ela foi a pessoa a quem fui correndo contar via e-mail. E que incrédulos formulávamos teorias da conspiração de isso dar certo até que em fins de setembro confirma-se: Paul Mccartney virá ao Brasil fazer shows em Porto Alegre e São Paulo (a princípio seriam duas datas, confirmada em 03 devido o sucesso de vendas de ingressos, para outras pessoas a 03° data não passou de um blefe para vender mais ingressos, rs).

A partir de então bolamos teorias da conspiração de como seria o show, do relógio contando chegar o dia, de como faríamos para assistir já que ambos não tínhamos condições financeiras de ir e principalmente não tinha condições de transporte e companhia para ir ao show. Disse então que ter sua companhia seria o maior presente que poderia ter, afinal ir no show de seu maior ídolo, do lado de uma grande companhia e que ainda por cima gosta e entende do assunto não tem nada melhor.

Neste meio tempo enfrentava os dias finais de universidade onde esperava me formar em Pedagogia pela UnB (Universidade de Brasília). Como não tive muitos presentes de aniversário e nem baile de formatura, aquele show de Paul Mccartney seria a cereja do bolo para coroar a graduação, pois a formatura seria no dia 12/11 e o show seria dia 22/11. Somando-se ao fato de querer terminar logo a monografia e me formar, ainda havia a expectativa do resultado do concurso da Secretaria da Educação para professores, e também tinha uma proposta de serviço temporário que só poderia acontecer caso me formasse. Além de estar próximo as provas do ENEM que eu estava ansioso para trabalhar pois seria de lá que eu custearia o ingresso para assistir ao show.

Passamos eu e Eleanor. dias ansiosos esperando o dia de começar a vender os ingressos pela internet e formalizávamos todas as teorias da “Lei de Murphy” que poderia acontecer (para que pudéssemos evitá-los). Chegado o dia anterior das vendas para o show do Beira Rio passamos horas conversando e eu consolando e dando forças a ela que ela conseguiria o tal ingresso e que este ingresso estaria reservado a si. Nos despedimos, passaram duas semanas e ela não aparecia o que me deixava preocupado.

Quando ela apareceu, veio me dizendo que o congestionamento de pessoas querendo comprar ingressos ao mesmo tempo fez com que o sistema caisse e ela perdesse a oportunidade de comprar o ingresso (Lei de Murphy agindo). Mas... ela entrou num site de vendas de ingressos on line e conseguiu comprar o ingresso para o show do Beira Rio dia 07 de novembro. Fiquei imensamente feliz por ela. O fato de ela custear o ingresso também faria ela dar o dinheiro da net para este devido fim e por isso perdemos contato durante um período.

(CONTINUA...)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

... OU COMO MINHA ALMA GÊMEA DE FLORIANÓPOLIS FOI AO SHOW DE PAUL MCCARTNEY

ELEANOR "THUANE" RIGBY BRITO
Obs: Obrigado Thuane pela história! (você sabe o quanto queria estar lá)
Bem, meus caros.

Inicio por meio dessa ferramenta, (para os muitos ou poucos amantes da música. Independentemente qual seu estilo/ gênero musical) alguns dos momentos ou o ápice do melhor dia da minha vida. Isso soa meio clichê, porém a verdade é uma: A música tem tanto poder, que se todos a tivessem consigo, o mundo seria outro. Não. Isso não é uma frase do Chico Buarque de Hollanda, longe disso! É fato.

Vejamos. Saio de casa ás 3:57, pego a estrada ás 4 e alguma coisa e parto rumo ao show de um integrante dos Beatles. Um integrante de Wings, revolucionador da história da música e assim por diante.

Depois de horas de estrada, “cadeiras” doídas, pernas atrofiadas e ansiedade explodindo, chego ao destino final: Porto Alegre/ Estádio do Beira-Rio. De início vejo um enorme cartaz com sua foto e o nome de sua turnê: Up and coming tour. Logo a diante, desço do carro e percebo que será uma batalha contra o tempo: Exatamente 35º com uma sensação térmica de 41°; escaldante!
Conheço um casal de gaúchos, passo a maior parte do tempo com eles e assim que se abre a “porta da esperança”, ganhamos um lencinho muito charmosinho. Branco, com os seguintes dizeres:Paul McCartney (sua assinatura) e abaixo “Up and coming tour” Porto Alegre 07.11.2010, Grupo RBS. Mando beijos e abraços ao casal que me acolheu durante uma tarde inteira, e corro rumo ao gramado livre.

Lá conheço de pertinho o Beto Bruno da banda gaúcha Cachorro Grande e outros. Conheci gente, que nem imaginava conhecer, e que me conheciam sem eu imaginar que me conheceriam... Loucuras a parte, no calor abafado de Porto Alegre, sozinha e ainda no horário das 18:10, saí do Gramado e me segui á arquibancada com a melhor vista para gravá-lo assim que chegasse.

THE MAGICAL MYSTERY TOUR - THE INVITATION
Horas passadas... E eis que entra o Lorde da música. embalado por Venus and Mars e Rock Show grudando com Jet. O engraçado que nesse pout-pourri inicial dele, a platéia não havia expressado nenhum grito desconcertante nem nada. Acho que faltarão-nos as palavras e reações. Aquele “caindo a ficha”, sabe?A partir da segunda com All my Lovin’, senão me falha a memória, o público se joga de cabeça, relembrando a época da Beatlemania.
Levando o show, Paul desata a falar um português muito bem declarado e com frases muito exóticas... Veja essa! Antes de começar a tocar All My lovin’ ele solta uma “Essa música eu fiz pra minha gatinha linda.” Hahahahah... Entre outras coisas bizarras e inacreditáveis de se ouvir.Muito profissional, simpático, atencioso e acima de tudo músico. Não só ele como toda a banda, trabalho perfeito! Principalmente o baterista que tem tanto swing e simpatia quanto Paul.
Pessoas de todas as idades vi naquele lugar. Idosos suportando o calor, casais de idosos, crianças acompanhadas dos pais, pais, mães, casados, solteiros, namorados, sozinhos e pasmem! Cachorro com roupa do Paul McCartney.
Hmm... Sim! Sim! Antes de iniciar uma música, duas gurias do Gramado Premium (em frente ao palco), são avistadas por ele com um cartaz em inglês contendo algo como: “Paul me dê um autógrafo para que eu possa transformá-la em tatuagem.” Nesse momento, todos acharam uma ação no mínimo graciosa da parte dele. Ele pergunta se elas deveriam subir ao palco e unanimidade: Nãããããoooo! Hahahaha.Em seguida, diz: “Não é minha culpa se elas querem fazer isso, certo, pessoal? Ok, moças, subam aqui!”Confesso que nesse instante, todos morreram de inveja e pediam impiedosamente que elas desaparecessem do local do crime. Hahaha. Uma gaúcha de Porto Alegre e outra catarinense de Florianópolis. Me sinto um pouco glorificada também, ok?
Após horas de show, gritos, choros e rouquidão. Chega o 2º bis final com a música lema da vida:
“And in the end the love you take is equal to the love you make.”
Ou seja, o amor que você recebe é igual ao amor que você dá.
E finalizando isso tudo, só tenho uma última coisa a dizer:Viva a música, aos músicos, aos sentidos, e a tudo que nos inspira. Principalmente na frente de um homem tão iluminado como esse. Que nos faz ver o quão pequenos somos e transformadores.

THE END!
Thuane.

Venus And Mars
Sitting in the stand of the sports arena
Waiting for the show to begin
Red lights, green lights, strawberry wine,
A good friend of mine, follows the stars,
Venus and mars
Are alright tonight.
Vênus e Marte

Sentado na arquibancada da arena de esportes
Esperando pelo show começar
Luzes vermelhas, luzes verdes, vinho de morango
Um bom amigo meu, segue as estrelas
Vênus e Marte
Estão bem nesta noite.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

MEU PERSONAL BIG MAC

Horas antes de embarcar do Enepe de Vitória 2008
Dois alfaces, hamburgueres, queijo, molho especial, cebola e picles...
COM MORDADELA E MUSSARELLA!!!!

domingo, 19 de setembro de 2010

AMANHECENDO EM ALGODOAL

Um simples amanhecer em Algodoal - PA - Julho de 2007



Simplicidade
Pato Fu
Composição: John
Clique para ver e ouvir (versão música de brinquedo): http://www.youtube.com/watch?v=4Ut8KAQWmLE

Vai diminuindo a cidade
Vai aumentando a simpatia
Quanto menor a casinha
Mais sincero o bom dia

Mais mole a cama em que durmo
Mais duro o chão que eu piso
Tem água limpa na pia
Tem dente a mais no sorriso

Busquei felicidade
Encontrei foi Maria
Ela, pinga e farinha
E eu sentindo alegria

Café tá quente no fogo
Barriga não tá vazia
Quanto mais simplicidade
Melhor o nascer do dia

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

LIVRE PARA VOAR

ROGÉRIO, LIVRE PARA VOAR:
NO AEROPORTO DE FLORIANÓPOLIS - JUNHO DE 2008



Livre Pra Voar

Exaltasamba

Composição: Rodriguinho / Thiaguinho

Lê lê! lê lê lê lê lê lê lê!
Lê lê lê lê lê lê lê lê lê!
Lê lê! lê lê lê lê lê lê lê!
Lê lê lê lê lê lê lê lê lê!

Quando a gente se encontrar
Tudo vai ser tão perfeito
Eu quero te curtir demais
E eu vou aliviar
Esse aperto no meu peito
Que vontade, não dá mais
Se no telefone é bom
Imagine aqui bem perto
Eu sentindo o teu calor
Sem medo de ser feliz
Tô com o coração aberto
Com você eu tô esperto....

Já me acostumei
Com o seu jeitinho
De falar no telefone
Besteirinhas prá me provocar
Quando eu te pegar
Cê tá perdida
Vai se arrepender
De um dia ter me tirado
Do meu lugar...

Peço, por favor
Não se apaixone
Pois não sou aquele homem
Que um dia o seu pai sonhou
Eu só tenho cara de santinho
Sempre faço com jeitinho
Coitada de quem acreditou...

Eu prometo te dar carinho
Mas gosto de ser sozinho
Livre pra voar
Quem sabe outro dia
A gente possa
Se encontrar de novo
Prometo te dar carinho
Mas gosto de ser sozinho
Livre pra voar
Quem sabe um outro dia
A gente possa se encontrar...

Lê lê! lê lê lê lê lê lê lê!
Lê lê lê lê lê lê lê lê lê!
Lê lê! lê lê lê lê lê lê lê!
Lê lê lê lê lê lê lê lê lê!

Quando a gente se encontrar
Tudo vai ser tão perfeito
Eu quero te curtir demais...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

AS CURVAS DAS ESTRADAS DE BRASÍLIA

AS CURVAS DAS ESTRADAS DE BRASÍLIA (TESOURINHA)
(o caminho percorrido da UnB para a rodoviária a pé)
SE VOCÊ PRETENDE SABER QUEM EU SOU, EU POSSO LHE DIZER...

Em 2007, no estacionamento do Park Shopping, houve um show de Lafayette e os Tremendões (um dos melhores em que já estive) e o carioca Nervoso ao apresentar a próxima música disse:
- Esta música vai em homenagem as curvas da W3...
Nisso Gabriel Thomas interveio e disse a Nervoso com toda delicadeza...
- A W3 NÃO TEM CURVAS ANIMAL!!!
Que assim seja!!! - Terminou nervoso antes de cantar...


Laffayette e os Tremendões


Roberto Carlos

As Curvas Da Estrada de Santos

Roberto Carlos

Composição: Roberto Carlos/Erasmo Carlos

Se você pretende saber quem eu sou
Eu posso lhe dizer
Entre no meu carro na estrada de santos
E você vai me conhecer
Você vai pensar que eu não gosto nem mesmo de mim
E que na minha idade só a velocidade
Anda junto a mim
Só ando sozinho
E no meu caminho o tempo é cada vez menor
Preciso de ajuda

Por favor me acuda
Eu vivo muito só
Se acaso numa curva eu me lembro do meu mundo
Eu piso mais fundo

Corrijo num segundo
Não posso parar
Eu prefiro as curvas da estrada de santos
Onde eu tento esquecer
Um amor que eu tive
E vi pelo espelho na distância se perder
Mas se o amor que eu perdi eu novamente encontrar
As curvas se acabam
E na estrada de santos não vou mais passar
Não, não vou mais passar


Versão Elis Regina


Versão Caetano Veloso

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A LUA GIROU...

Lua em Brasília



A Lua Girou

Milton Nascimento


A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso
A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso

Eu bem queria fazer um travesseiro dos seus braços
Eu bem queria fazer...

Travesseiro dos meus braços
Só não faz se quiser
Um travesseiro dos meus braços
Só não faz se não quiser...

Sustenta palavra de homem
Que eu mantenho a de mulher
Sustenta a palavra de homem...
Que eu mantenho a de mulher

A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso
A lua girou, girou
Traçou no céu um compasso

Eu bem queria fazer um travesseiro dos seus braços
Eu bem queria fazer...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

ROGÉRIO E SEUS DISCOS DE VINIL



Nunca diga

Pato Fu

Composição: Frank Jorge

Querida nunca diga que eu tenho mau gosto
E saiba que o belo da vida ainda está pra nascer
Querida por favor olhe bem em meu rosto
E tente enxergar o que os outros não conseguem ver

Fui lhe mostrar um disco que eu comprei
De um cantor que eu sempre gostei
Mas você não me deu atenção
E voltarei pra casa pelo mesmo caminho
Escutarei o meu disco sozinho
Dentro do meu quarto na escuridão

Querida nunca diga que eu tenho mau gosto
E saiba que o belo da vida ainda está pra nascer

Fui lhe mostrar um disco que eu comprei
De um cantor que eu sempre gostei
Mas você não me deu atenção
Voltarei pra casa pelo mesmo caminho
Escutarei o meu disco sozinho
Dentro do meu quarto na escuridão

Querida por favor olhe bem em meu rosto
E tente enxergar o que os outros não conseguem ver
E tente enxergar o que os outros não conseguem ver


PORÃO DO ROCK 2006: SALDO FINAL - AS RECORDAÇÕES

foto de bibica_assim em 03/06/06
PORÃO DO ROCK - OBRIGATÓRIO



Porão do Rock 2006, saldo final:
Companhia do Luis/Wanda e amigos, primeiro porre do Luis (que ele tenha dito é claro), zoação desde Taguatinga, largar eles para trás para não perder Matanza (e só encontrá-los dois shows depois, rs), Paul Dianno cantando Phanton of the Opera, o Porão em que mais me diverti, queixo deslocado, fratura na espinha, corpo dolorido de fazer parte de montinhos, escoriaçõs pelo corpo, joelho dolorido, sola do pé dolorido (sei lá porque), dormir na rodoviária junto a um bando de roqueiro, metaleiros e mendingos e ainda ver um colocar fogo no outro enquanto este dormia, voltar em um ônibus com duas garotas de programa que voltava de seu "serviço" e que atiçava os garotos que já estavam empolgados desde o show, chegar em casa as 07 da manhã com o olho ardendo do sol e de mais de 24 horas sem dormir... E para fechar com chave de ouro uma internação no dia seguinte por causa de um efeito colateral da injeção que tomei para evitar as muitas dores que sentia e que meu organismo não aceitou bem.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

POR ONDE ANDARÁ O ARIEL???

ARIEL JUNTO A KAREN

EU:
O proximo que ainda não postei e nem tem texto é:
POR ANDA O ARIEL???

Resposta do Luis ao saber do post:
Aaaaaaaaahhhhhhhhhh, rogério!!!!!!!!!!
Fála sério!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O ariel acabou de sair daqui da sala!!!!!!!!
Agora, nesse momento!!!!!!!!!!!
tem tempo q ele ta aki no cespe!!!!!!!!!!

Minha contra resposta:
Entao diga a ele que o proximo post e dele
Eu nao o vejo faz dois anos.
E que esta sua reposta sera incluida no espaço que nao teria texto, rs.

Réplica do Luis:
Ele é um setor sozinho daki, hehehehehehehehe.
Ele é responsável pelo patrimônio!!!!!

Minha resposta
De novo????
hehehehhe
E numa sala sozinho de novo???
Vai pro post, heheheheh

SOL DE PRIMAVERA


Sol de Primavera

Composição: Beto Guedes e Ronaldo Bastos

Quando entrar setembro
E a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão
Onde a gente plantou
Juntos outra vez...

Já sonhamos juntos
Semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz
No que falta sonhar...

Já choramos muito
Muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar
Uma nova canção
Que venha nos trazer...

Sol de primavera
Abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor
Só nos resta aprender
Aprender...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

domingo, 5 de setembro de 2010

ASSISTINDO AO JOGO VASCO X CRUZEIRO 2006 PARTE 03

FOTO TIRADA POR MIM DO MINEIRÃO


Obs: Por estar acima das cabines de rádio e TV, esta era a minha visão de campo naquele dia.

A PRIMEIRA VEZ QUE ASSISTI MEU TIME DE UM ESTÁDIO DE FUTEBOL.
33ª RODADA BRASILEIRÃO 2006
Cruzeiro 2 x 1 Vasco( 05/11/2006 - Mineirão )
Melhores Momentos - Ao vivo ( Rede Globo )

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

GALERINHA DO 02°/2004 E AGREGADOS VERSÃO 2010

Galerinha ++ do 2º/2004... e agregados!rs
GALERINHA DO 02°/2004 E AGREGADOS VERSÃO 2010

POR GABRIELLA NASCIMENTO

Há cerca de 1 ano e meio eu, pensando na minha formatura e na pouca grana que eu tinha pra pagar uma festa, resolvi por em prática uma ideia que ja tinha discutido com alguns colegas de fazer uma festa paralela, mais simples e barata, mas que todos os meus melhores amigos da faculdade pudessem participar comigo. Escrevi um e-mail e mandei para aqueles mais mais chegados, que estavam se formando, teoricamente, junto comigo, no 2º/2008, e para uns 2 que haviam se adiantado e formado um semestre antes. Começamos a discutir as possibilidades por ali, e pronto...

A festa nunca aconteceu (e só 2 pessoas do grupo se formaram na data prevista), mas dessa lista de e-mail sairam duas viagens de ano novo, varios encontros, e um bate-papo constante e hilário. Todos os dias meu e-mail tem umas 50 mensagens novas, pelo menos, desse povo, discutindo futebol, politica, unb, dicas de emprego, vida adulta, os filhos que ja nasceram, os que estão quase, os que ainda virão, as lombras do willys, os monologos do rogério... Ou simplesmente entrando pra dizer "to com sono...".

Amo esse povo! E essa foto é do ultimo encontro, ha uma semana. O primeiro que conseguimos presença de todos participantes da lista que entraram no meu semestre (é que, com o tempo, a lista do e-mail cresceu e incluiu mais dois calouros nossos que, infelizmente, nao puderam ir no dia), mais respectivos companheiros e filhos (mesmo que na barriga querendo sair).

Brasília 12 de agosto de 2010

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

SINDROME DO TREM(ONIBUS) DAS 11


Gal Costa canta "Trem das onze" (Adoniran Barbosa) num programa de TV em 1973.

Trem das Onze

Demônios da Garoa

Composição: Adoniran Barbosa

Quais, quais, quais, quais, quais, quais,
Quaiscalingudum
Quaiscalingudum
Quaiscalingudum

Não posso ficar
Nem mais um minuto com você
Sinto muito amor
Mas não pode ser
Moro em Jaçanã
Se eu perder esse trem
Que sai agora às onze horas
Só amanhã de manhã

E além disso mulher
Tem outra coisa
Minha mãe não dorme
Enquanto eu não chegar

Sou filho único
Tenho minha casa pra olhar

Bam zam zam zam zam zam
Quaiscalingudum
Quaiscalingudum
Quaiscalingudum

Quaisgudum, tchau!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

FACULDADE DE EDUCAÇÃO

RETIRADO DA PÁGINA PRINCIPAL DO SITE DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNB.

sábado, 28 de agosto de 2010

SARAU DOS CALOUROS

SARAU NA PRAÇA CHICO MENDES

Sarau realizado pelos calouros aos veteranos, após a semana de recepção. Pede-se que os calouros apresentem seus dotes artísticos durante o sarau.

TOUR PELA UNB

TOUR PELA UNB FEITA PELOS VETERANOS

Passeio nos principais locais da UnB junto aos calouros mostrando lugares fundamentais para sua vida acadêmica.

MOVIMENTOS SOCIAIS E CONSCIENCIA POLÍTICA ESTUDANTIL

Palestras com videos de veteranos aos calouros sobre seu papel político como estudante da UnB.

CORRIDA DAS FOTOS

Mediando um grupo durante a corrida das fotos.
(02° semestre de 2005)

APRESENTAÇÃO ARTISTICA PARTE 02

A apresentação artística consistia em um dia da recepção dos calouros, os veteranos se apresentariam artisticamente, seja cantando, recitando poesias, dançado contando piadas, etc. Com isso era escolhido com antecedencia músicas relativas a sentimentos que os estudantes passariam pelos 04 anos próximos. Os sentimentos escolhidos eram: Críticas Sociais, tristeza, alegria, felicidade, amizade, amor, entre outros.

Era apresentado como show de variedades, organizadas em blocos (os sentimentos) com pessoas escolhidas previamente para recitar, cantar ou dançar. Algumas vezes rolava improviso de alguém que se sentia motivado e se escalava, ou pessoas que já tinham participado se unia com outras e criava ali outro número para apresentar.

Ao final, todos se apresentavam cantando a música "Para não dizer que não falei das flores (caminhando e cantando)" seguido do hino daquela fase o "Tio não, educador (você passou por mim antes de ser doutor). E após ser dito a finalidade da dinâmica era perguntado ao grupo de calouros se alguem tinha aptidões artísticas para também apresentar para os veteranos e a FE no que viria a ser o sarau a ser realizado apenas um mês depois.

O violonista oficial era o Boi (Wanderlei), e depois seguiu Renato Moll, porém, um se formou e o outro largou o curso e coincidentemente foi após a estes fatos deixou-se de realizar a melhor das atividades da recepção dos calouros. Deixou-se de ser realizado também porque as novas turmas por não terem sido apresentados a atividade, não sabiam como levar adiante. Como também o fato de não ter ninguem para tocar violão quando da saída (hoje com inumeros tocadores de violão, não se tem lembranças do que eram aqueles tempos).

Hoje esta atividade foi substituída pelo sarau, que antes era a consequencia da atividade artistica e hoje é o objetivo.

Cenas dos próximo capítulos da atividade artística:

Renato Moll cantando: Caminhando e cantando...


Calouro cantando seu tema sobre tristeza:

Cantando música sobre felicidade:

Wanderlei, em sua última recepção, tocando música sobre amizade...

Ana Paula recitando poesia sobre amor...